Foto1461O Presente de ser Pai.

 No mês de outubro vivi uma experiência inigualável, o nascimento da minha primeira filha, Isabeli. Foi o momento mais feliz da minha vida, participei do momento do nascimento, até achei que não ficaria em pé quando a visse saindo da barriga da minha esposa, fiquei em pé, de frente aos médicos no seu procedimento, mas fiquei olhando para o teto e para a parede até o momento que ela aparecesse, então o médico disse: “pode olhar” quando olhei, lá estava ela linda, a mais linda que já tinha visto na minha vida (não falo apenas como pai, mas ela nasceu muito linda mesmo).

 Estava no hospital durante o final de semana do nascimento da minha filha e fiquei pensando que agora minha vida tinha se transformado totalmente, agora eu não era mais apenas um filho, um marido, um amigo, um irmão, um profissional. Agora eu sou Pai.

 Fiquei vendo outras mães no hospital, que estavam com seus filhos recém nascido no quarto, mas acabei ficando surpreendido, pois elas estavam sozinhas.

 No momento do parto da minha filha, estavam meus sogros, meus pais e alguns outros familiares e depois que eu saí um deles comentou: “a mulher que entrou agora no centro cirúrgico estava sozinha, ninguém na sala de espera, ninguém para estar com ela”. Honestamente fiquei chocado em saber que nesse momento, onde a mulher precisa se sentir segura, sabendo que há pessoas que a amam estão esperando ansiosamente seu retorno para compartilhar da alegria de ser mãe, mas não, nem o pai estava presente. Você deve estar pensando, ou vai pensar que há situações ainda piores, famílias que expulsam os filhos de casa por gravidez não planejada, homens que são progenitores mas não são pais e muito mais que vemos e ouvimos na mídia.

 Todos esse eventos, e os momentos que tenho vivido na minha casa me fizeram refletir a respeito de ser Pai. Não quero aqui de maneira alguma julgar ou ser o “expert” no assunto de ser pai e como participar como pai, mas queria discorrer algumas coisas que vieram à minha mente durante esses quase 25 dias, desde o nascimento da minha princesinha.

 Dormir? O que é isso? Não sei o que é dormir a semanas, ou melhor, sei o que é cochilar de um olho só. Sabe de uma coisa, aprendi que dá pra viver sem dormir e vale a pena, pois o presente que ganhamos não há como mensurar.

 Fiquei pensando em todos os sentimentos e experiências que estou vivendo nessa experiência eterna de ser pai.

 Fico surpreso que ainda nos dias de hoje, na era digital, fast food, agendas apertadas, vemos muitos homens, que são progenitores ao invés de Pai. São excelentes executivos, professores, profissionais, mas não viveram ainda à experiência de ser pai, sabem que tem filhos, mas são ausentes e algumas vezes chegam em casa altas horas da noite, reclamam de tudo e até deixam de aproveitar as poucas horas, ou minutos que tem para viverem como pai ou em outro caso, ainda pior, chegam cedo em casa, e ao invés de serem pais, vão a clubes, ficam na internet, assistem seu programa favorito, etc.

 Alguns desses pais que podem ler este texto podem dar inúmeras desculpas para se justificar, mas existem prioridades, e muitas vezes, na teoria sabemos quais são as prioridades de nossas vidas, mas na pratica colocamos o trabalho, amigos, lazer, etc na frente de tudo, inclusive dessa dádiva de ser pai.

 Todas as vezes que pego a neném no colo fico dizendo a minha esposa que não vejo a hora de ver a baixinha correndo em casa e vindo em minha direção quando eu estiver chegando do trabalho e ela dizer de longe: “Papai”.

 Queria compartilhar abaixo, em poucas palavras os momentos de maior prazer que estou tendo com a experiência de ser pai:

  • Acordar a cada 2 horas para pegar a neném no berço e levar até a mãe para amamentar; acordar a cada gritinho para ver se está tudo bem; trocar as fraldas de madrugada ou em todos nos momentos que estamos juntos; dar banho e ouvir seu chorinho quando coloco ela de frente e ver depois ela ficar tranqüila ao agarrar meu braço quando a coloco de costas, faze-la arrotar e depois coloca-la no berço; pois a mamãe já foi dormir por estar muito cansada; almoçar aos finais de semana com ela do lado da cadeira da mesa e ficar balançando o carrinho para ela dormir; ficar com a coluna doendo quando a tomo em braços, pois está ganhando peso e ficando com “gominhos” nas perninhas e braços; quando estou com elas em braços ela olha fixo para mim e dá um sorriso (os médicos dizem que é reflexo, mas para mim, ela sorriu).

 Tenho minha vida profissional, e procuro fazer e ser o melhor no que faço, sempre. Tenho meu momento de lazer, tenho tempo para os amigos, tempo como marido, ajudo em casa e agora, tenho meus momentos como pai. Você pode estar pensando que estou fazendo e falando isso por ser minha primeira filha, mas quero dizer uma coisa, conheço vários homens que me inspiraram a ser como sou, e vi que é possível ser completo em tudo, dois desses homens tem 4 filhos, e dão atenção a seus filhos exemplarmente, conheço outro homem que teve 10 filhos cuidando com zelo de todos. Um de seus filhos me disse uma vez que quando estava com seu pai no leito de morte ele o beijou como nunca, quebrando o paradigma da época da sociedade patriarcal e machista e me disse: “eu deveria ter feito isso mais vezes” e eu aprendi muito com isso, foi uma frase que ouvi em 1989 e nunca mais me esqueci. Esse filho que me contou isso em 1989 sempre foi um excelente pai, seus filhos muito apegados a ele, e mesmo trabalhando como “um louco” para dar todas as condições possíveis para os filhos e família tinha tempo para cada um. Aprendi muito com este homem, que teve a dádiva de também ser Pai.

 Podem dizer seus motivos, muitas justificativas podem ser dadas para uma omissão de pai, mas também tenho as minhas experiências que mostram que apesar de muitos homens terem filhos e não serem pais é possível viver ainda nesse mundo em ser pai. É um presente ser pai, e para mim foi algo mais que especial e uma experiência que vou aproveitar até o final da minha vida, seja com minha princesinha ou se tiver mais filhos, vou viver cada um intensamente como se fosse a primeira vez, pois vejo que vale a pena.

 Queria encerrar com uma frase que meu pai disse uma vez para mim que nunca esqueci, mudou a minha vida, meu comportamento, meus paradigmas e nunca quero ter que falar a nenhum filho meu: “eu deveria ter feito isso mais vezes”.

 Ser Pai é um presente, não é tarde para recomeçar.

 Um abraço.

 Felipe Hodar

07 de Novembro 2009.

Anúncios